Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Manifesto da Campanha Europeia - O que nos une e o que nos move

Domingo, 07.10.12

Excerto do Manifesto Europeu da Campanha. O texto estrutura-se em torno de 7 eixos.

Podes ler o texto todo na secção Media (o documento está disponível em 4 línguas)

 

A dívida dos governos é com as mulheres, não com os bancos!

Marchamos por uma vida digna e sustentável!

 

Nestes tempos sombrios de austeridade, constatamos com indignação o agravamento das condições de vida das mulheres no nosso continente, especialmente no sul da Europa. Em muitos países europeus a crise económica foi usada para concentrar a riqueza e o poder em

poucas mãos, explorando ao máximo a força de trabalho, limitando práticas democráticas, reprimindo os movimentos sociais e de cidadania e aumentando o ódio e a divisão entre diferentes sectores da população.

 

A europa do capital está a saquear as nossas vidas e direitos, está a levar as nossas sociedades a um estado de emergência em que somos nós as mulheres as principais afectadas, tanto pelos cortes como pelas políticas conservadoras dos governos neoliberais que pretendem impor valores baseados no “regresso ao lar” e no modelo de família nuclear contra o que as feministas tanto têm lutado. Nós mulheres, sofremos de maneira diferente os efeitos das crises económicas e sociais porque nos encontramos diferentemente posicionadas nas hierarquias do poder económico, político, social, cultural e simbólico. A divisão sexual do trabalho expressa a hierarquização de tarefas ou de pessoas, assim como ideias ou representações sociais acerca das divisões técnicas do processo produtivo e as relações sociais que nele intervêm e que distribuem as e os trabalhadoras/es por diferentes actividades.

 

Reclamamos uma vida digna que coloque as pessoas no centro da vida, que ponha em destaque os cuidados perante uma economia que não é algo abstracto nem decisões longínquas, mas que determina e afecta o dia a dia da vida das pessoas. Vida que está em risco perante as políticas de austeridade impulsionadas a partir dos mercados financeiros que empurram os estados para resgatar a banca quando o dever dos governos é resgatar as pessoas.

(...)

Queremos democracia em todas as esferas de nossas vidas.

Nós, as mulheres, queremos controlar nossa vidas e construir uma sociedade mais justa, que acabe com o sistema capitalista e patriarcal, e que nos permita viver, nós e todos uma vida digna.

Feminismos como elementos centrais para soluções reais. É isto nosso compromisso.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Outros temas:

publicado por: Mulheres em Marcha

Media

Terça-feira, 02.10.12

MATERIAIS DE DIVULGAÇÃO DA CAMPANHA FEMINISTA ANTI-AUSTERITÁRIA

 

Logotipo da campanha portuguesa:

 

Folheto para divulgação da campanha portuguesa: (clique na imagem para descarregar o pdf)

 


DOCUMENTAÇÃO DA CAMPANHA:

 


NOTA: Esta página será actualizada conforme novos materiais sejam disponibilizados

Autoria e outros dados (tags, etc)

Outros temas:

publicado por: Mulheres em Marcha




Feedback



subscrever feeds